sexta-feira, 3 de janeiro de 2020

Christopher Ward C3 Grand Tourer

A par da germânica Steinhart, a marca britânica Christopher Ward sempre foi uma das minhas representantes favoritas de uma nova vaga de marcas com propostas de alta qualidade e preço razoável, em parte conseguido à custa de um modelo de negócio de venda direta através da Internet.

Infelizmente, como já por diversas vezes referi a propósito da CW, neste caso os preços têm vindo a aumentar à medida a que a marca tem ganho prestígio – um pecado que a Steinhart, até agora, tem evitado.

Não quero com isto dizer que todos os modelos britânicos tenham deixado de ter um preço interessante, mas que isso acontece em muitos deles é algo que uma visita ao site da marca pode confirmar cabalmente.

Felizmente, ainda há algumas peças interessantes – embora não necessariamente baratas. É o caso deste belíssimo cronógrafo de inspiração vintage, o C3 Grand Tourer, com um mostrador cujo desenho a marca garante ter sido inspirada nos instrumentos dos Aston Martin dos anos 60.

 O relógio é, de facto, muito bonito, com uma caixa cujo diâmetro de 39mm começa a surgir com frequência e que de certa forma indica que há, pelo menos aparentemente, um retrocesso face aos exageros dos últimos anos em termos de tamanho do mostrador.

Este modelo é perfeito para entrarmos com o pé direito em 2020 porque, na realidade, ainda não está disponível – a marca indica a possibilidade de pré-encomenda em janeiro para a maioria das diferentes referências, criadas a partir da conjugação de três cores de mostrador (verde, azul e bege) com braceletes em aço (malha milanesa) e pele de cor preta ou castanha.

O movimento usado é de quartzo, o suíço Ronda 5021.D, e a execução é do habitual nível (elevado) da CW, com vidro de safira numa caixa que a marca apelida de "light catcher" e que incorpora uma tampa em aço com baixo relevo e poussoirs para o controlo das funções cronográficas em forma de pistão.

O desenho do mostrador é bastante equilibrado, com os dois sub-mostradores do cronógrafo colocados nas posições das 3 e 9 horas (em vez das posições de referência do movimento, mais habituais, às 12 e 6 horas) equilibrados com a janela de data às 6 horas. Os numerais, ponteiros e índices têm todos tratamento luminescente.

O mostrador tem ainda duas escalas adicionais: uma de minutos/segundos para uma melhor leitura de tempos intermédios através do cronógrafo; e uma escala taquimétrica, interna, no extremo da circunferência.

O preço para tudo isto é de 495€ (600€ para as versões com bracelete em aço), com portes grátis para todo o mundo. Como disse no início, não é barato, mas é o que acontece quando a nossa marca ganha valor e esse valor é valorizado pelo cliente...

2 comentários :