quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Relógios do Quotidiano no Grande Prémio de Relojoaria 2018


O Grande Prémio de Relojoaria do Anuário Relógios e Canetas tem este ano a sua segunda edição e, tal como no ano passado, é possível a qualquer pessoa votar para a categoria da Escolha do Público.

Há 21 relógios em competição (3 para cada uma das 7 categorias a concurso), mas a única que nos interessa é a dos "Relógios do Quotidiano", uma tradução portuguesa para o que no setor se costuma designar de "daily driver": uma peça não muito cara que usamos no nosso dia-a-dia sem preocupações de maior.

Os requisitos desta categoria são apenas dois: o preço tem de estar abaixo dos 1000 euros e o movimento usado deverá ser mecânico.

A votação para a Escolha do Público pode ser feita aqui (em qualquer peça, e não necessariamente nestas três que aqui vos apresento). Eis as três peças a concurso na categoria Relógios do Quotidiano:

Seiko Prospex Save The Ocean


A marca japonesa apresenta a concurso o modelo Save The Ocean da gama Prospex, na tentativa de repetir o êxito do ano passado, em que ganhou efetivamente a Escolha do Público com um relógio semelhante.

O modelo deste ano é virtualmente igual ao que ganhou o ano passado, pelo que não me vou alongar em detalhes, uma vez que podem consultar o link aqui. A referência a concurso em 2018 é a SRPC93K1, cuja principal diferença reside no seu (muito bonito) mostrador (e bisel) azul. O preço de referência é da ordem dos 400 euros.


Meia Lua Inception


O segundo concorrente à categoria de Relógio do Quotidiano é português. Trata-se do modelo Inception Deep Moon Black da Meia Lua.

Não me vou alongar muito na descrição porque tenho agendada uma análise aprofundada deste modelo, que a marca se disponibilizou a enviar para teste. 

É um relógio cujo principal argumento é a relação preço/execução: apenas 329€ por uma máquina equipada com um movimento automático Miyota, caixa em aço com revestimento PVD e vidro de safira com tratamento antirreflexo. O relógio tem acabamento duplo: escovado na caixa e polido no bisel.

Outro aspeto típico de um microbrand mas que contribui para valorizar o relógio é o facto de se tratar de uma edição limitada a apenas 75 unidades. Pode saber mais sobre a Meia Lua aqui.

Fortis Spacematic White

O último concorrente à categoria de melhor Relógio do Quotidiano é um Fortis, o modelo Spacematic White da coleção Cosmonautis da marca suíça.

Este modelo existe em variantes com diferentes braceletes, incluindo uma em aço, mas penso que o representante em Portugal (a SRI) terá submetido esta em particular, com pulseira em pele, para o poder manter abaixo da requerida fasquia dos mil euros: custa 950€.

A partir de uma caixa com 40mm de diâmetro (raro na Fortis, onde a maioria dos relógios têm 42mm), a marca propõe uma máquina equipada com um movimento automático ETA 2836-2 com dia e data às 3h00 - um dos meus layouts preferidos - o mostrador branco luminescente (afterglow verde) no escuro.

A caixa tem resistência à água de 10 atmosferas e o mostrador é protegido com vidro de safira antirreflexo, como aliás em todos os relógios Fortis.

= = = = =