29 de fevereiro de 2016

Sturmanskie Ocean Stingray



A Sturmanskie acaba de lançar em Portugal o Ocean Stingray, resistente a pressões de até 30 atmosferas, ou seja, 300 metros de profundidade.

A marca russa – a primeira a viajar até ao espaço, no pulso do primeiro cosmonauta, Yuri Gagarine – diz que se propôs "criar um relógio capaz de ser usado nas situações mais extremas mas que, ao mesmo tempo, pudesse ser uma peça de utilização no dia-a-dia", razão pela qual "todas as decisões de engenharia tomadas na conceção do Ocean Stingray foram coordenadas com os aspetos práticos da utilização do relógio e, claro, desenhadas de forma a criar um modelo esteticamente apelativo."

O resultado final agrada-me bastante, com uma estética "brutalista" a lembrar a dos relógios dos submarinos soviéticos dos anos 70, com pormenores como a coroa protegida e, nalguns modelos, duas barras de aço verticais a protegerem o mostrador.

O relógios é baseado num movimento automático Seiko NH35A com data e possibilidade de corda manual e paragem de segundos. A caixa em aço escovado tem 46 mm e o bisel unidirecional em PVD preto lacado é ligeiramente maior, com 47,5mm.

Os ponteiros, numerais e índices possuem tratamento com Superluminova para visibilidade no escuro, o mesmo acontecendo com seis pontos (nas posições horárias pares) no bisel rotativo. Todos os Sturmanskie Ocean Stingray são vendidos numa caixa exclusiva que inclui duas braceletes (pele genuína e borracha de silicone) bem com uma ferramenta para a sua substituição.

Estes relógios estarão disponíveis em Portugal a partir do final de Fevereiro através da rede de agentes da Sociedade de RelojoariaIndependente. O PVP sugerido é de 735 euros para qualquer das variantes.

26 de fevereiro de 2016

Jacques Lemans London 1-1654F

Falei da Jacques Lemans pela primeira vez em 2013 e entretanto não tenho ligado muito à marca. Mas a verdade é que as suas peças parecem valer bem o (pouco) dinheiro que custam, como é o caso deste bonito cronógrafo da gama London com a referência 1-1654F.

Existe um total de 13 variantes deste modelo, incluindo 5 com bracelete em aço, mas este foi o que mais me agradou, com uma elegância discreta e conjugação de cores particularmente feliz. O desenho global está muito bem conseguido, desde as proporções gerais à escolha dos numerais.

A caixa em aço de 40mm oferece resistência à água de 10 ATM (100 metros). O movimento de quartzo com data não tem origem especificada.

A marca vende diretamente através do seu website e não cobra portes. Os preços de referência indicados já têm IVA. No caso deste modelo, o preço é de 149 euros, um valor muito bom. Contudo, é possível ainda melhor através da Amazon. No site espanhol, o preço para este modelo específico é de apenas 105 euros.

24 de fevereiro de 2016

Orient Bambino 3 ER2400LD0

O site oficial da Orient, no Japão, utiliza apenas as referências alfanuméricas nos seus relógios, mas a sua congénere dos EUA não tem qualquer problema em usar as designações que tornaram populares certas coleções. É assim com os relógio de mergulho Mako, por exemplo, mas o mesmo acontece com muitas outras, de que é exemplo este dress watch que pertence já à terceira iteração da coleção Bambino.

A coleção possui um total de seis variantes, sendo esta, com mostrador azul, a referência ER2400LD0 (FER2400LD0 nos EUA). A série 3 do Bambino adota um desenho mais elegante e intemporal do que a primeira versão, retomando a utilização de índices nas posições horárias da série inaugural e afastando-se dos numerais romanos usados na segunda série - que, de resto, se mantêm ambas em catálogo.

O preço de referência para qualquer variante de todas as três séries Bambino é de 260 dólares, o que significa pouco mais de 200 euros na Europa.

O Orient Bambino 3 ER2400LD0 que vos trago hoje usa uma caixa em aço de 40,5 mm de diâmetro e 11,8 de espessura com fundo roscado. A execução inclui mostrador de vidro mineral e resistência à água de apenas 3 atmosferas (ou seja, na prática, nenhuma!).

O relógio é baseado num movimento mecânico automático Orient 48743, com três ponteiros e data. É um dos "work horses" da marca e a sua relativa rusticidade (funciona a 21,600 a/h) é compensada pela elevada fiabilidade.

É mais um modelo que prova que é possível termos no pulso "muito relógio por pouco dinheiro" e nem sequer é preciso abdicarmos de um movimento automático.

22 de fevereiro de 2016

Stührling Concorso Vigor 820.03


Quem acompanha regularmente este blog sabe que a Stührling é uma marca que me deixa algumas reservas. E essas reservas prendem-se sobretudo com o momento em que a empresa entrou no mercado lançando a ideia (a partir de uma "história da marca" sempre vaga e que deixa muita margem à imaginação) de que os seus relógios eram suíços.

Em seu abono registo com agrado o desaparecimento da maioria das referências a uma hipotética herança helvética. O que resta é o que muitos outros fazem: relógios baseados em movimentos japoneses, chineses e (por vezes) suíços a preços muito razoáveis.

Se olharmos para estes relógios sob este ponto de vista podemos por um momento respirar fundo, olhar para a Stührling de uma outra forma e apreciar os seus relógios e, sobretudo, a sua relação preço/qualidade aparente.

Este cronógrafo, com a designação Concorso Vigor e a referência 820.03, é um excelente do que acabo de escrever. Trata-se de um cronógrafo de quartzo baseado no interessante movimento Miyota 0S00 que, com a disposição dos sub-mostradores e janela de dia e data às 3h00 lembra de imediato um Valjoux 7750.

O relógio parece muito bem construído, com uma grande caixa em aço de  46mm, fundo roscado e resistência à água até 200 metros. Os índices e ponteiros têm tratamento luminescente para visibilidade no escuro.

Existem mais duas variantes deste modelo com caixa em aço normal: com mostrador e bisel azul e com mostrador e bisel preto.

Os preços de referência oscilam muito. Para o modelo 820.03 em PVD negro, que foi aquele que mais facilmente encontrei online, a Amazon.com pede-nos quase 400 dólares, o que me parece excessivo, enquanto na Europa o valor é de 129 euros...

19 de fevereiro de 2016

Casio Edifice EF-512D-1AVEF

O EF-512D-1AVEF é mais um belíssimo cronógrafo da coleção Edifice da Casio. Ao contrário de alguns outros modelos desta gama, aqui a Casio optou por um projeto simples que favorece a legibilidade, o que é de saudar.

A caixa, em aço, tem 41mm de diâmetro e a bracelete tem um desenho particularmente bonito, com elos que fluem de forma muito elegante. O desenho do mostrador inclui índices nas posições horárias (encimados por uma escala de 60 segundos/minutos) e uma janela de data rasgada verticalmente às 3 horas.

O vidro mineral do mostrador é ligeiramente convexo e o fundo da caixa é roscado – ambos fatores que contribuem para uma boa estanquidade do relógio, que neste caso é de 10 atmosferas (100 metros).

O preço de referência na marca é de 100 euros (o que já por si é um fantástico preço), mas é possível obtê-lo ainda mais barato, através da Amazon Espanha, por cerca de €70.

Este é mais um daqueles relógios que provam que não é preciso gastar uma fortuna para termos no pulso uma peça de que nos possamos orgulhar.

17 de fevereiro de 2016

Timex Metropolitan TWG012600AU

Não sou muito fã de smartwatches, "activity trackers" e coisas semelhantes. Contudo, produtos como este Timex Metropolitan TWG012600AU, que conjugam conectividade e funções avançadas com um relógio convencional, já me parecem bastante interessantes.

Há muto por aqui que me agrada – desde o preço (£130 numa caixa com bracelete adicional), à autonomia (cerca de 18 meses) até à estética global do relógio, que considero bastante feliz e que se baseia na gama Inteligente Quartz da marca.

Claro que encontramos os habituais compromissos da Timex. Por exemplo, a caixa (de 42mm) é de latão em vez de aço, o que compromete a sua longevidade a prazo. Mas o acabamento preto mate é bastante atrativo e o mesmo se pode dizer de todo o desenho do relógio, do mostrador às braceletes.

As funcionalidades incluem "activity tracking", exibida no ecrã em passos e distância percorrida; e percentagem atingida face ao objetivo definido. Através de uma ligação Bluetooth 4.0 Low Energy é possível obter mais dados através de uma app gratuita para Android ou iOS e que oferece adicionalmente estatísticas que incluem calorias queimadas e calendário de atividades por dia, semana, mês ou ano.

15 de fevereiro de 2016

MTM Hypertec Chrono 2

A MTM Special Ops, de que não só já falámos anteriormente, como até realizámos um teste, especializou-se em criar relógios de pendor militar que podem também ser usados todos os dias. Nem todos são acessíveis, é verdade (até porque as suas especificações elevadas nem sempre o permitem), mas os novos Hypertec Chrono 2 parecem-me particularmente interessantes.

Todos os Hypertec Chrono 2 possuem uma caixa em aço de 44mm com resistência à água de 20 atmosferas (200 metros), com fundo roscado e coroa de rosca, o que garante poderem ser usados em mergulho sem problemas. O mostrador foi desenhado com índices nas posições 1 a 4 e numerais nas restantes. O bisel (fixo) possui uma escala de 24 horas. O vidro, de alta resistência, é temperado.

A proveniência do movimento usado, de quartzo, não é indicada. Contudo, tudo leva a crer (pelo layout do mostrador) tratar-se de um movimento japonês Miyota 6S11.

Estes cronógrafos estão disponíveis em nada menos do que 12 variantes, todas elas com um preço bastante competitivo de 350 dólares (preço de referência a partir do website da marca). Cada variante pode ser ainda personalizada com diversos tipos de braceletes. Ao contrário do que é habitual, a MTM propõe o mesmo preço para as variantes com caixa de acabamento convencional ou revestida a PVD negro. Todos os MTM são vendidos numa "dry box" (que custa 50 dólares quando comprada separadamente).

12 de fevereiro de 2016

Steinhart Ocean One Vintage black DLC matt

Já há uns tempos que não tinha a oportunidade de falar da Steinhart, uma das minhas marcas B3 preferidas. O pretexto surge agora com este magnifico relógio de mergulho de execução simples mas com um nome algo complicado: Ocean One Vintage black DLC matt.

Este relógio de mergulho (300 metros) tem uma execução muito simples e, ao mesmo tempo, muito cuidada: caixa em aço de 42mm, bisel rotativo para controlo do tempo de mergulho, ponteiros, numerais e índices em dourado sobre um mostrador em preto mate e caixa igualmente em preto, através de um revestimento PVD. No escuro, índices e ponteiros exibem brilho verde através do tratamento com Superluminova "Old Radium". A execução inclui vidro de safira com tratamento anti-reflexo.

O movimento automático usado é um ETA 2824-2 em execução "elaboré" e relativamente ao qual se prescindiu do disco de data; ou seja estamos na presença de um puro "três ponteiros".

O resultado é um relógio muito bonito pelo qual a Steinhart pede uns muito razoáveis €510 + portes. A marca vende apenas a partir do seu website.



10 de fevereiro de 2016

Magrette Leoncino


A Magrette é uma marca neo-zelandesa de que já falámos aqui algumas vezes. Os seus relógios tendem a adotar desenhos simples e elegantes e os preços, não sendo dos mais acessíveis, ficam ainda dentro dos parâmetros "B3".

É certamente esse o caso do modelo que hoje vos trago, designado Leoncino. É um desenho claramente inspirado nos anos 60, com o mostrador redondo dentro de uma caixa quase quadrada. A empresa decidiu optar aqui pela utilização de um movimento japonês de origem Citizen, o Miyota 9015, um calibre de nova geração que não receia comparações com suíços de funcionalidades semelhantes (caso dos ETA 2824 e 2892).

A execução é de grande nível. A caixa, em aço, tem 42mm de diâmetro e o vidro de safira anti-reflexo é usado não só no mostrador como no fundo da caixa, para observação do movimento (é frequente usar-se vidro mineral normal no fundo, mesmo quando se usa vidro de safira no mostrador).

Este modelo tem uma edição limitada a 667 peças para todo o mundo. O preço – um tanto elevado para um relógio com movimento japonês – é de $625, mais $30 de portes para qualquer parte do mundo. O relógio pode ser adquirido diretamente através do website da marca.

8 de fevereiro de 2016

Citizen Metropolitan Elegante AO9020-50E

Elegante, sólido, funcional, barato – que mais podemos querer num relógio? Este modelo da Citizen é tudo isso e muito mais. Este é a referência AO9020-50E, com bracelete em aço, mas existe também uma variante com caixa dourada, mostrador branco e bracelete em pele, que tem a referência AO9024-16A.

Trata-se de um dress watch com estética de cronógrafo, em que os sub-mostradores às 3h00 e às 9h00 servem afinal para exibir o dia do mês e da semana, respetivamente.

A partir de uma caixa em aço com 42,5mm de diâmetro e resistência à água até 100 metros, a Citizen desenhou um bonito mostrador com numerais arábicos nas posições pares e índices nas ímpares. Uma escala secundária exibe ainda as posições de minutos/segundos.

O conjunto utiliza um movimento de quartzo da própria Citizen com tecnologia EcoDrivem isto é, alimentado pela luz, com uma autonomia de 6 meses (ou seja, funciona durante seis meses  com uma carga completa e sem receber qualquer luz).

O preço de referência é de 159 euros para o modelo com bracelete em aço e de 149 para o que tem bracelete em pele – valores que me parecem excelentes para o que aqui nos é oferecido. Contudo, é ainda possível arranjar mais barato, nomeadamente através da Amazon alemã: cerca de €128 para o modelo AO9020-50E e de €130 para o modelo com bracelete em pele.