quinta-feira, 26 de março de 2020

Citizen Eco Drive CA7040-85L

Descobri este relógio num post promovido da Citizen Portugal no Facebook. Na realidade, "descobrir" é o termo certo: o tal post (cheio de pessoas interessadas a perguntar qual o modelo e qual o preço, mas sem qualquer resposta por parte da marca...) não dava qualquer informação além de um paleio de marketing e da foto.

Pior ainda, o post era uma cópia traduzida de posts idênticos de subsidiárias da Citizen noutros mercados... que também não incluíam informação alguma sobre o modelo ou o preço.

Vai daí, decidi ir à procura. Trata-se da referência CA7040-85L da nova "Of colletcion 2020" da marca japonesa. Como dá para perceber de imediato, o mecanismo usado oferece complicação de cronógrafo com data às 3 horas. É um movimento de quartzo Eco Drive B642, alimentado pela luz (solar ou artificial).

A execução é muito bonita: caixa e bracelete em aço, vidro mineral, resistência à água até 100 metros e proporções muito interessantes, num diâmetro de 41 mm. A cor azul é particularmente feliz, embora não o tenha visto ao vivo e as fotos possam enganar. Mas o resto do desenho é, também ele, muito bonito: gosto sobretudo do desenho do mostrador, tipo "aviador", com ponteiros de dimensões generosas e numerais de boa legibilidade em todas as posições horárias exceto às 12, 3 e 6 horas.

O preço é... uma agradável surpresa. Perante as insistentes perguntas no tal post do Facebook (deixada sem resposta pela marca) sobre qual seria o preço deste modelo, havia quem sugerisse algo em torno dos 400 euros. A realidade é bem melhor: o PVP de referência indicado pela Citizen Portugal é de 199€.

Os interessados poderão comprá-lo por cerca de 180€ na Amazon Espanha.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2020

Christopher Ward C3 Grand Tourer

A par da germânica Steinhart, a marca britânica Christopher Ward sempre foi uma das minhas representantes favoritas de uma nova vaga de marcas com propostas de alta qualidade e preço razoável, em parte conseguido à custa de um modelo de negócio de venda direta através da Internet.

Infelizmente, como já por diversas vezes referi a propósito da CW, neste caso os preços têm vindo a aumentar à medida a que a marca tem ganho prestígio – um pecado que a Steinhart, até agora, tem evitado.

Não quero com isto dizer que todos os modelos britânicos tenham deixado de ter um preço interessante, mas que isso acontece em muitos deles é algo que uma visita ao site da marca pode confirmar cabalmente.

Felizmente, ainda há algumas peças interessantes – embora não necessariamente baratas. É o caso deste belíssimo cronógrafo de inspiração vintage, o C3 Grand Tourer, com um mostrador cujo desenho a marca garante ter sido inspirada nos instrumentos dos Aston Martin dos anos 60.

 O relógio é, de facto, muito bonito, com uma caixa cujo diâmetro de 39mm começa a surgir com frequência e que de certa forma indica que há, pelo menos aparentemente, um retrocesso face aos exageros dos últimos anos em termos de tamanho do mostrador.

Este modelo é perfeito para entrarmos com o pé direito em 2020 porque, na realidade, ainda não está disponível – a marca indica a possibilidade de pré-encomenda em janeiro para a maioria das diferentes referências, criadas a partir da conjugação de três cores de mostrador (verde, azul e bege) com braceletes em aço (malha milanesa) e pele de cor preta ou castanha.

O movimento usado é de quartzo, o suíço Ronda 5021.D, e a execução é do habitual nível (elevado) da CW, com vidro de safira numa caixa que a marca apelida de "light catcher" e que incorpora uma tampa em aço com baixo relevo e poussoirs para o controlo das funções cronográficas em forma de pistão.

O desenho do mostrador é bastante equilibrado, com os dois sub-mostradores do cronógrafo colocados nas posições das 3 e 9 horas (em vez das posições de referência do movimento, mais habituais, às 12 e 6 horas) equilibrados com a janela de data às 6 horas. Os numerais, ponteiros e índices têm todos tratamento luminescente.

O mostrador tem ainda duas escalas adicionais: uma de minutos/segundos para uma melhor leitura de tempos intermédios através do cronógrafo; e uma escala taquimétrica, interna, no extremo da circunferência.

O preço para tudo isto é de 495€ (600€ para as versões com bracelete em aço), com portes grátis para todo o mundo. Como disse no início, não é barato, mas é o que acontece quando a nossa marca ganha valor e esse valor é valorizado pelo cliente...

quarta-feira, 1 de janeiro de 2020

Steinhart Nav.B-Chrono 47 Baumuster B Grey Edition


Não é frequente mas, de vez em quando, surge um relógio que me faz parar e olhar com atenção – e, depois, ficar a pensar que o próximo passo seria tê-lo no meu pulso! Este novo modelo da marca alemã Steinhart, de que tanto tenho falado desde os primeiros momentos deste blog, é um destes relógios.

O Steinhart Nav.B-Chrono 47 Baumuster B Grey Edition começa por estar no topo do que considero ser "B3" (a regras deste blog definem os 1000€ como teto máximo), uma vez que custa uns substanciais 990€. No entanto, justifica este valor pelo facto de ser baseado no (já de si caro) movimento cronógrafo ETA Valjoux 7750, aqui numa execução premium e ainda melhorada com o tradicional acabamento da marca, nomeadamente um rotor dourado com o logótipo da Steinhart.

Mas o que realmente distingue esta máquina do enorme mar de cronógrafos baseados no Valjoux 7750 que podemos encontrar por aí é a originalidade do desenho e a forma como o mecanismo foi implementado.

Se olharem com atenção, o que mais sobressai é o mostrador tipo "B", em que os principais numerais da escala são os dos minutos/segundos – aqui graduados de 5 a 55 – e que é uma implementação típica nos relógios ditos de "navegador" (e não de "piloto", como muitas vezes lhes chamamos) que tiveram origem na Segunda Guerra Mundial e eram usados pelas tripulações dos bombardeiros alemães.

De forma a ir ao encontro do desenho original mas sem desperdiçar as complicações oferecidas pelo 7750, a Steinhart tomou algumas decisões interessantes, nomeadamente usar apenas os sub-mostradores correspondentes à funcionalidade de cronógrafo (às 6 e 12 horas) e dispensar o mostrador de pequenos segundos que esta máquina costuma oferecer às 9 horas.

Outra simplificação passa pela utilização apenas do disco do dia do mês (aqui, às 6 horas), quando este é um movimento que inclui também um disco de dia da semana, ambos tradicionalmente visíveis na posição das 3 horas.

Mas a originalidade do desenho da Steinhart não se fica por aqui. Seguindo as diretivas dos desenhos de mostrador "Tipo B", o relógio inclui uma escala concêntrica para as horas, cuja leitura é facilitada pelo ponteiro respetivo, encurtado de forma a apontar corretamente para as posições horárias. O desenho inclui ainda escala taquimétrica inscrita internamente, em torno do mostrador.

A caixa é pouco grande para o meu pulso (47mm), mas o resultado é francamente bom, com uma execução de elevado nível que inclui vidro de safira e uma caixa em aço de cor cinza particularmente bonita. Nota final para a coroa com cortes diagonais de belo efeito e poussoir de arranque do cronógrafo em vermelho.