segunda-feira, 9 de maio de 2016

Aramar Arctic Marine Blue


"Gostos não se discutem – cultivam-se!" A frase pode ser um nadinha pretensiosa, mas não deixa de ter um fundo de verdade. O gosto sendo algo intrinsecamente pessoal, é também algo que evoluiu ao longo do tempo e em função das experiências de cada um.

Por exemplo, quando comecei este blog gostava sobretudo e relógios tipo "piloto" (e ainda gosto) e os relógios de mergulho eram um pouco olhados por mim como um parente pobre. Expliquei até a razão do meu relativo desinteresse por este tipo de relógio. Mas com o tempo acabei por apreciá-los mais e hoje estão até na minha wish list como relógio a adquirir em breve.

Só que, como bem sabem os amantes de relógios, o diabo está nos detalhes. E mesmo dentro de cada categoria há coisas que nos agradam ou irritam e que condicionam a compra de um modelo em função do outro. Da marca ao movimento, da cor à bracelete, dos índices aos formato dos ponteiros, do tamanho da caixa ao formato do bisel, há toda uma gama de detalhes que fazem a diferença.

Este modelo que hoje vos trago, o Arctic Marine Blue da empresa neerlandesa Aramar, cumpre com quase todos os requisitos do relógio que procuro. Gosto de praticamente tudo – o movimento é um high beat Miyota 9015 de 28.800 a/h; o mostrador tem excelentes proporções em relação ao bisel, que não é demasiadamente largo; a execução inclui vidro de safira, lente para a janela de data e caixa de 42mm com resistência à água até 500 metros (ao invés dos habituais 200 ou 300); até o azul do mostrador me parece perfeito.

E tudo isto com um "preço canhão" de apenas 249€, a partir do website do fabricante.

Coisas que gostaria que fossem diferentes? Apenas duas: o formato (tipo "floco de neve") do ponteiro das horas, e as inscrições no mostrador, que me parecem excessivas e desnecessárias.

Contudo, o que aqui é oferecido, por um preço destes, torna esta peça numa compra obrigatória para quem procura um relógio de mergulho.

Sem comentários :

Enviar um comentário