quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Armogan Spirit of St. Louis


A Armogan é uma das mais jovens marcas de relojoaria do mundo. Criada em 2013 a partir de uma bem-sucedida campanha de crowdfunding, esta pequena empresa europeia começou por se chamar Antoine Arnaud e nasceu da vontade de um grupo de amigos em desenhar o seu próprio relógio.

Para já, existe apenas um modelo com quatro variantes: um elegante cronógrafo de quartzo designado Spirit of St. Louis baseado no interessante movimento Miyota 0S00 com dia e data às 3H00 que permite criar peças muito acessíveis com um desenho semelhante aos cronógrafos automáticos equipados com o lendário ETA Valjoux 7750.

O relógio é muito, muito bonito (para o meu gosto, claro) e os seus designers claramente acertaram nas proporções gerais do mostrador. A caixa de aço tem 44mm e resistência à água de 5 ATM (50 metros); a bracelete é em pele, com uma fivela normal, e o vidro usado é mineral.

O melhor? O preço. Comprado diretamente a partir da loja da marca, este relógio custa apenas €184 (incluindo portes e envio), o que o coloca diretamente no campo das maiores pechinchas que jamais passaram por este blogue.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Vostok Europe Gaz 14 Limousine Dual Time

 
 

A Vostok Europe é uma das marcas em que praticamente todos os modelos se encaixam no meu conceito B3. Infelizmente, a utilização generalizada de caixas de grande diâmetro significa que não encaixam no meu pulso: neste momento estou a usar um Junkers 6218-2 com 42 mm de diâmetro e acho que este é o limite... pelo menos enquanto não me habituar, claro, e começar a olhar para relógios maiores! ;-)

Este Gaz 14 Limousine Dual Time, com a referência 2426-5602059, cujo mostrador tem "apenas" 43mm de diâmetro, é um dos mais pequenos relógios da extensa gama da marca lituana e, além disso, tem um desenho elegante e simples que me agrada bastante.

Trata-se de um relógio baseado num movimento automático russo Vostok 2426 numa configuração com data às 6H00 e "dual time", ou seja, a exibição de dois fusos horários (é para isso que serve o ponteiro com uma pequena seta que na foto aponta para as 5H01). Uma segunda coroa às 2H00 permite o acerto livre do segundo fuso horário.

Este movimento pertence à categorial "Automatic Precision" da empresa russa. Funciona a 19.800 A/h (2,75 Hz) e tem uma construção cuidada, na qual foram utilizados nada menos de 32 rubis.

A caixa em aço tem revestimento PVD negro, o que pode ser verificado observando as asas que seguram a pulseira em pele, que contrasta com o bisel prateado. A estanquidade é de 5 atmosferas (50 metros).

O mostrador tem um desenho interessante, com índices nas 12 posições horárias e numerais árabes numa escala secundária de 24 horas. Os índices e os ponteiros teem visibilidade noturna através da aplicação de material luminescente. O vidro do mostrador é mineral e o fundo da caixa é igualmente em vidro, para observação do movimento.

O preço de referência em Portugal, através do distribuidor, é de apenas €274, um valor muito bom para um relógio automático com funcionalidade de duplo fuso horário.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Rotor Sportschwimmer 3R37


Não é a primeira vez que falo aqui da Rotor e não deverá certamente ser a última porque esta é mais uma marca alemã que personifica o que considero ser um relógio "B3". Este modelo em particular, designado Sportschwimmer N.º 1 · 3R37 é bastante interessante, muito embora prometa algo mais do que aquilo que é capaz de oferecer.

O meu maior problema com o relógio (há outro, mas já lá vamos) é a sua designação: a marca sugere que será um excelente companheiro para nadar mas, como já por diversas vezes chamei aqui a atenção, os entusiastas que procurem um relógio com essas características nunca deverão optar por nada que ofereça menos do que uma resistência à água de 20 atmosferas (200 m). E este "Sportschwimmer" não vai além das 10 ATM. Aliás, pela leitura da sua ficha técnica, nem sequer surge a obrigatória coroa de rosca, essencial para assegurar uma estanquidade eficaz.

A segunda questão prende-se com o tamanho. A minha experiência com relógios diz-me que uma vez que nos habituemos a mostradores acima dos 40mm, dificilmente nos iremos contentar com relógios de menores dimensões. E este fica-se pelos 37mm.

Dito isto, há muito para gostar e, dependendo da importância que der ao que atrás escrevi, os "prós" são certamente superiores aos "contras".

Comecemos por dentro. O coração deste Rotor é um movimento automático suíço Sellita SW 200-1 com data às 3H00. Trata-se de um movimento moderno, com 26 rubis e que trabalha a 4Hz (28.800 Alternâncias/hora); inclui paragem de segundos (o ponteiro dos segundos para quando se puxa a coroa, para facilitar o acerto da hora) e opção de corda manual (útil para repor rapidamente a reserva de marcha, que é da ordem das 38 horas).

A caixa em aço tem, como já disse, 37mm de diâmetro e os elegantes 10,5 mm de espessura. O fundo, roscado, tem vidro para observação do movimento. Contudo, a Rotor decidiu – à semelhança do que acontece na maioria dos seus modelos – dispensar o mais dispendioso vidro de safira optando por um mostrador em vidro mineral.

A execução do mostrador é muito bem conseguida, com grandes numerais árabes nas posições pares e índices nas restantes, todos eles com acabamento preto, cor que é também usada nos ponteiros. Para resolver o problema da legibilidade, a Rotor optou por realizar um tratamento luminescente a todo o mostrador, o que significa que a leitura é feita não pela visibilidade no escuro de ponteiros e índices, mas sim pelo contraste entre estes e o fundo luminoso.

Uma última decisão de design que me agrada é a inclusão de uma bracelete têxtil contínua, tipo NATO, que a Rotor disponibiliza em quatro cores: cinza (na foto), preto, verde azeitona e creme.

O preço de referência do relógio é de 359 euros (com IVA a 19%),  um valor muito interessante para o conjunto oferecido.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Swatch YWB402 Special Unit


Este Swatch com a referência YWB402 tem a designação "Special Unit" – um piscar de olho ao seu estilo militar – e algumas particularidades raras num Swatch e que me agradam bastante. É um modelo que faz parte da coleção 2014 da família Irony e da sub-família Big, ou seja, com uma caixa de 40mm.

Além do mostrador muito limpo e legível com dupla escala e data às 4H30, este é um dos raros Swatch com caixa em aço – mesmo os Irony são maioritariamente produzidos com caixas em alumínio, que atraem riscos da mesma forma que as traças são atraídas pela luz...

Outra particularidade é a bracelete: o tradicional plástico das braceletes da marca surge aqui substituído por pele e, ainda por cima, numa configuração tipo NATO: a bracelete é contínua, passando por debaixo da caixa.

O movimento é o habitual na marca – quartzo suíço com data – e o preço que encontrei online ronda os €100.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Seiko Automatic SARG011


Enquanto a maioria das marcas europeias se concentra em determinados tipos de relógios e mantém uma gama razoavelmente limitada, os principais fabricantes japoneses (Seiko, Citizen, Casio...) oferecem um leque extremamente alargado de modelos – quer ao nível de variantes, tipos, tecnologias e preços.

A Seiko será talvez a que leva esta ideia mais ao extremo, com relógios extremamente baratos (já sem falar das sub-marcas do grupo ainda mais acessíveis, como a Pulsar ou a Lorus) e uma gama premium sob a forma dos Grand Seiko.

Este modelo que vos trago hoje é um relógio automático de preço relativamente moderado (cerca de €350) mas de execução extremamente cuidada – incluindo fundo em vidro para observação do movimento e mostrador protegido com vidro de safira ligeiramente convexo.

O movimento automático utilizado é o moderno Seiko 6R15, com data, que funciona a 21.600 alternâncias por segundo hora (3 Hz) e que aceita também corda manual (útil para rapidamente criarmos reserva de marcha). Além disso, é também um movimento com paragem de segundos, isto é, ao puxarmos a coroa para fora, o ponteiro dos segundos é parado, de forma a facilitar o acerto da hora.

A caixa, em aço, tem 40,3 mm de diâmetro e resistência à água até 10 atmosferas (100 m). O desenho do mostrador fica algures entre o de um dress watch e um relógio tipo aviador, com numeração árabe nas horas pares e índices nas horas ímpares – e todos eles, juntamente com os ponteiros, tratados com material luminescente para visibilidade no escuro. A bracelete, em pele preta, tem um fecho tipo borboleta.

Um teste a este modelo, com muitas fotos, pode ser encontrado aqui.


sábado, 29 de novembro de 2014

Steinhart Triton Military Bronze

Steinhart TritonA Steinhart continua a impressionar-me com a qualidade e – nalguns casos, mas nem sempre – originalidade das suas criações. E também com os preços, claro.

É o caso deste modelo de mergulho resistente a 30 ATM (300 metros), pertencente à gama Triton e com a referência T0224. Utiliza uma caixa em bronze com algumas peças revestida a PVD negro (bisel e coroa), que se conjugam de forma harmoniosa com o verde-azeitona do mostrador e da bracelete em borracha. O efeito de contraste é particularmente impressionante.

A escolha do movimento  recaiu sobre o pouco comum Soprod Alternance 10, um “três ponteiros” com data que possui algumas características interessantes. A primeira, e mais visível, claro, é o balanço ser visível – algo de que a Steinhart tirou partido ao dotar este relógio com um fundo de observação em vidro.
Por outro lado, trata-se de um movimento particularmente preciso, de tal forma que a Soprod disponibiliza versões cronómetro com certificação COSC. Além disso, e apesar de tal não ser usado nesta versão em particular, é um movimento que pode ser dotado de vários módulos com complicações adicionais, entre elas segundo fuso horário, indicador de 24 horas e até cronógrafo.

A caixa deste Triton tem 45 mm de diâmetro e o mostrador é protegido por vidro de safira com duplo revestimento antirreflexo. Ponteiros, numerais e índices receberam tratamento luminescente (Superluminova C3).

O preço é de €690 a partir do website da marca (com IVA mas sem portes).

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Christopher Ward C30 Malvern Chronometer

c30-cosc_swt_2
Quando é que um cronógrafo é também um cronómetro? Quando é certificado como tal, claro! Confuso(a)? Então leia primeiro este artigo (e já agora este também) e depois volte aqui. Já está? OK, então vamos lá falar deste belíssimo Cristopher Ward, um cronógrafo de quartzo da coleção Malvern da marca britânica com a referência C30-COSC-SWT e que existe em mais duas variações: C30-COSC-SWK com bracelete em preto e C30-COSC-SWS com bracelete em aço. 

O movimento é o ETA 251.233, um calibre de quartzo de alta precisão da linha Thermoline do fabricante suíço. A designação prende-se com a tecnologia de termo-compensação usada no movimento para assegurar uma precisão que é de cerca de 20 vezes maior do que um movimento de quartzo normal – a ETA indica algo como um desvio de apenas 10 segundos por ano – e que foi criada para facilmente poder obter uma certificação de cronómetro, como as outorgadas pelo COSC, como acontece nestes modelos em particular.

Além da sua grande precisão, este é também um movimento muito “empedrado”, utilizando um total de 27 rubis – algo que é frequente num movimento mecânico mas muito raro entre os movimentos de quartzo, sendo que os mais baratos não usam sequer quaisquer rubis.

Há pouco que não me agrade neste relógio, embora possa apontar que os 39mm de diâmetro da caixa de aço me soam a pouco para o que se tornou hoje norma no mundo dos relógios. Mais um milímetro ou dois provavelmente não seria uma má ideia… De resto, a execução parece-me correta, pois não falta o vidro de safira no mostrador, a conjugação de acabamento escovado/polido na caixa ou a bracelete em pele com o fecho Bader especial.

A Chistopher Ward só irá produzir um total de 1.500 unidades destes relógios (500 para cada variação), algo que acrescenta valor ao relógio, para além da já referida certificação cronográfica da COSC. O preço indicativo é de umas muito razoáveis 599 libras (£650 para a versão com bracelete em aço) a partir do site da marca.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Orient Monterey FTT0V004Y0


Este cronógrafo de quartzo da Orient é uma das razões pelas quais vale sempre a pena revisitar as coleções desta marca japonesa. Com a referência FTT0V004Y0 (as referências da Orient são sempre um pouco estranhas...) e integrado no que a subsidiária norte-americana da marca chama Coleção Monterrey, trata-se de um cronógrafo de desenho clássico e muito elegante que pode até ser usado em situações de maior formalidade onde normalmente optaríamos por um dress watch.

O movimento é o calibre KFB00, da própria Orient, que além do cronógrafo apresenta data às 3H00. A caixa, em aço, tem uma resistência à água marginal (5 ATM) e um diâmetro de 42,5mm. O vidro usado no mostrador é mineral.

O relógio está disponível em mais quatro referências, com variações nas cores da caixa, mostrador e braceletes. No entanto, entre todas elas, gosto especialmente desta com mostrador creme e índices e ponteiros prateados. A bracelete é em pele de cor castanha.

Um dos aspetos que mais aprecio no desenho do cronógrafo é a opção pelo diferente diâmetro dos sub-mostradores, que criam algum movimento, bem como a dupla escala do taquímetro e de minutos/segundos, que se equilibra esteticamente com os índices prateados para as posições horárias.

Apesar de um nível de execução que me parece bastante cuidado, o preço é tipicamente Orient – ou seja, baixo: encontrei-o online por apenas cerca de 200 euros num website alemão.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Casio Edifice EQW-T620DB-1AER


O EQW-T620DB-1AER é um excelente exemplo da coleção Casio Edifice, de que já aqui falámos várias vezes. Trata-se de um relógio com acerto automático através de receção de ondas de rádio (que sincronizam a hora do movimento de quartzo através de um relógio atómico) de razoáveis dimensões (45mm) e um desenho que não é demasiado busy, como por vezes encontramos em modelos de proveniência japonesa.

Ao contrário do que o desenho do mostrador sugere, com os seus três sub-mostradores, este não é um cronógrafo, mas um relógio multi-funções – muito embora possa cumprir algumas tarefas que normalmente atribuímos aos cronógrafos.

Como se pode ver pelas instruções do movimento, o sub-mostrador às 3H00 indica-nos o dia da semana; o sub-mostrador às 7H30 dá-nos a hora num segundo fuso horário à escolha; e às 10H30 encontramos um indicador de 24 horas. Contudo, é possível alterar o modo de operação de forma a que possa funcionar como cronógrafo com precisão de contagem de tempo de 1/20 segundos até um máximo de 24 horas – 23 horas, 59 minutos e 59,95 segundos, para sermos mais precisos!

A caixa em aço tem uma resistência à água de 10 atmosferas (100 metros) e, ao contrário de alguns modelos da família Edifice, que incluem vidro de safira, aqui o mostrador é protegido por vidro mineral de alta resistência.

O preço de referência em Portugal é de cerca de 300 euros, um valor muito interessante para o nível de funcionalidade oferecido.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Timex Expedition Rugged Metal T499909J

 
 

Este exemplar da gama Expedition da Timex tem o nome de Rugged Metal (à letra "metal resistente") e a referência T499909J mas a designação serve apenas para emprestar ao relógio uma característica que na realidade não possui: o "metal resistente" aqui usado na caixa (por oposição a uma versão do mesmo relógio que utiliza resina sintética) é na verdade latão e não aço. O que, na prática, significa que a sua resistência não será propriamente uma característica que deva ser salientada!
No entanto, tudo se desculpa quando vemos que o preço de referência (Amazon.com) é da ordem dos 55 euros – um valor realmente baixo para um relógio com um desenho utilitário mas bem proporcionado e que conseguimos imaginar perfeitamente no nosso pulso enquanto acampamos ou durante uma qualquer outra expedição menos urbana.
O mostrador de fundo beije é especialmente bem proporcionado, com uma dupla escala de 12 horas e "hora militar" e data às 3H00. A Timex utiliza também aqui a sua tecnologia de iluminação noturna Indiglo em que todo o mostrador se ilumina, permitindo assim a leitura das horas através do contraste com os numerais e ponteiros.
A caixa tem 45 mm de diâmetro, um valor que coloca este modelo no campo dos "relógios grandes", resistência à água marginal (5 atmosferas) e o mostrador é protegido por "vidro" acrílico – muito mais resistente que o vidro, mas mais sujeito a riscar-se.
No entanto, como atrás escrevi, por cerca de 50 €, este é um relógio interessante para quem procura um companheiro de aventuras utilitário e acessível e não quer correr riscos em levar no pulso algo que se possa danificar.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Seiko Kinetic GMT 5M85

 

Lançados no final dos anos 80, os movimentos Kinetic, da Seiko, tinham como objetivo juntar a precisão do quartzo com a tecnologia mecânica por detrás dos movimentos automáticos, usando um rotor para gerar a eletricidade capaz de alimentar um acumulador e evitar a utilização de pilha.
 
É debatível se resultado foi o esperado (há vários artigos pela Web a falar do assunto, pelo que não me alongarei aqui) mas a verdade é que o que parecia em tempos ser algo que iria tomar de assalto o mundo da relojoaria é hoje usado num comparativamente pequeno número de modelos deste fabricante japonês.
 
Isso não significa porém que a ideia seja má – especialmente agora, várias gerações depois dos primeiros movimentos – ou sequer que tenha sido abandonada. E disso é exemplo este belo exemplar da gama Sportura, declinado em duas referências: este SUN015P1, com bracelete em aço, e o SUN015P2, com bracelete em pele.
 
O modelo SUN015P1 tem um preço de referência da ordem dos €500. E o que obtemos por este valor não deixa de ser interessante, a começar pelo facto de que este movimento Kinetic oferece não apenas data como a exibição de fuso horário alternativo através de um segundo ponteiro das horas.
 
A execução é de elevado nível, com caixa em aço de 44,4mm de diâmetro, mostrador com vidro de safira, estanquidade de 10 atmosferas, coroa de rosca e (de particular interesse para um relógio cujo movimento é, afinal, de quartzo) um fundo em vidro através do qual é visível o rotor que alimenta a pilha recarregável.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Citizen Avion


O Citizen Avion é um relógio de quartzo simples mas muito equilibrado que a marca japonesa descreve como uma "peça de inspiração vintage reminiscente dos voos transatlânticos dos anos 50". Bem, pessoalmente não sei se descreveria este relógio desta forma, mas temos de perceber que a função dos departamentos de marketing é arranjar frases destas para ajudar a vender relógios... ;-)

O que temos aqui são dois modelos – o AW1361-10H (bracelete castanha, destaques laranja) e o AW1361-01E (bracelete preta, destaques vermelhos) – cujo mostrador possui uma escala principal Tipo B, em que os numerais em destaque são os dos minutos e não os das horas, típico dos relógios usados na Segunda Guerra Mundial pelos navegadores dos bombardeiros.

Neste caso, a a Citizen optou por usar uma escala tripla: minutos, e hora militar (1-24) numa dupla escala concêntrica. Uma janela de três algarismos às 3H00 é usada para exibição da data.
O movimento, de quartzo, é um Eco-Drive J810.

A caixa em aço é de dimensões generosas (45mm) com uma resistência à água que não permitindo pensar em usá-lo para mergulhar (10 ATM/100 m) é suficiente para assumirmos este modelo como um excelente "todo-o-terreno", pronto para nos acompanhar em qualquer aventura.

O preço de referência para qualquer um destes relógios é muito bom: apenas £129.

sábado, 15 de novembro de 2014

Aviator R.3.08.5.093.4 Propeller



O Aviator Propeller (“hélice”) é um relógio automático criado como um tributo à história da aviação e aos seus pioneiros: tal como nos aviões, é o rotor do movimento automático que assegura o funcionamento contínuo do relógio e garante que este instrumento de medição do tempo funciona com a precisão necessária. E da mesma forma que o motor é uma parte fundamental no avião, o mesmo também acontece num relógio com o seu movimento. Neste caso esse movimento é o ETA 2824-2.
Este movimento automático de fabrico suíço com data às 3H00 possui 25 rubis, “bate” a 28.800 vibrações por hora (4 Hz) e possui um rotor com rolamentos de esferas para um funcionamento suave e preciso.

A Aviator criou um total de 4 variações do Propeller, todas elas baseadas numa caixa de aço inoxidável de 45mm de diâmetro e 14mm de espessura com resistência à água até 50 metros (5 atmosferas) e mostrador protegido por vidro de safira convexo com revestimento antirreflexo.
O Propeller R.3.08.5.093.4 é talvez a variante mais interessante, com a sua caixa revestida a PVD e mostrador totalmente negro – tal como nos restantes modelos, a legibilidade no escuro é garantida através do tratamento luminescente de ponteiros e numerais com Superluminova.

Comum a todas as variações é o fundo em vidro para observação do movimento ETA bem como do rotor em forma de hélice que a Aviator criou propositadamente para este novo modelo. O preço em Portugal é de 910 € para os modelos com caixa em aço escovado e de 951 € para as variantes com caixa revestida a PVD negro.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Movimento cronógrafo automático SII (Seiko) NE88


Estará o mundo (da relojoaria) preparado para um novo movimento cronógrafo automático? A Seiko, através da sua subsidiária Time Module julga que sim e não deixa créditos por mãos alheias com o novo calibre SII NE88.

O mecanismo é considerado tecnicamente superior ao popular ETA Valjoux 7750 – o que também não é de estranhar, porque o calibre suíço foi lançado há... 40 anos! É que longe de se tratar de um movimento para atacar o ETA 7750 em termos de preço, o NE88 distingue-se pela sua precisão e conceção sofisticada: roda de coluna e embraiagem vertical para controlo do movimento do cronógrafo, movimento high beat com 28.800 vibrações/hora (4 Hz), 34 rubis, data, reserva de marca de "mais de 45 horas" e paragem de segundos.

Uma vez que é produzido pela divisão OEM da Seiko, iremos certamente encontrá-lo em breve em cronógrafos automáticos de diversos fabricantes. A começar pela Vostok Europe, que fez um acordo com a SII para ser a primeira marca a usar o novo movimento. O relógio que terá a honra de pioneiro será o novo Mriya, uma gama criada para celebrar os 10 anos da marca lituana.

Este modelo terá três variantes, todas baseadas numa caixa em aço com uns generosos 50 mm de diâmetro e resistência à água até 200 metros: um cronógrafo com este movimento NE88, um "três ponteiros" mais convencional que utilizará o movimento automático SII NH35, e um modelo ana-digi (o primeiro da Vostok Europe) com um novo movimento do fabricante suíço ISA.

A gama Mriya será lançada ainda no Outono de 2014 (a tempo de comemorar o 10.º aniversário da empresa) mas só estará disponível no mercado durante o próximo ano. Voltaremos a este assunto quando estes novos Vostok Europe chegarem a Portugal.

domingo, 12 de outubro de 2014

Rotor Automatic Model 9R38CS


A jovem marca Rotor, de que já anteriormente falámos aqui, produz relógios na Alemanha com movimentos suíços e preços bastante acessíveis.

A Rotor possui várias gamas divididas pela sua estética: relógios de piloto, de mergulho e clássicos, a que pertence este modelo com a referência 9R38CS.

Como não podia deixar de ser para um relógio que reivindica o estilo Bauhaus, trata-se de um modelo de linhas simples e funcionais, com horas, minutos, segundo e data às 3H00. A marca diz apenas que usou aqui um movimento automático suíço, mas não indica qual – facto que não é preocupante, dadas as reduzidas fontes de movimentos mecânicos suíços existentes, todas elas de excelente qualidade.

Este dress watch clássico tem uma caixa em aço de 38mm (que se pode considerar como um valor "médio" dada a tendência atual para relógios de dimensões um pouco maiores) e uma execução pensada para um resultado final de preço acessível: os €319 que a Rotor pede pelo relógio não incluem vidro de safira ou quaisquer outros "luxos" à exceção da bracelete em pele.

Existe uma variação com a referência 9R38MI que, por mais €10, oferece uma bracelete de aço em malha milanesa.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Aviator Professional Automatic



A Aviator é uma marca de origem russa criada no início deste século e que desde sempre teve como objetivo a conceção e produção de peças destinadas a serem usadas por pilotos profissionais – ou por todos aqueles que alguma vez sonharam em cruzar os ares aos comandos de um avião.

A Aviator iniciou-se no mundo da relojoaria com movimentos Poljot, de origem russa, mas começou desde cedo a diversificar-se usando calibres suíços e, desde 2013, passou a produzir os seus relógios numa unidade própria no cantão Jura e a utilizar em exclusivo movimentos "Swiss Made" de três fornecedores: ETASellita (movimentos mecânicos) e Ronda (quartzo).

O facto de a marca ser patrocinadora da esquadrilha acrobática russa Swifts não é (apenas) uma operação de marketing, uma vez que os seus membros dão efetivamente feedback à Aviator e ajudam-na a criar relógios que vão ao encontro das expetativas e necessidades dos pilotos profissionais.

E foi isso mesmo que aconteceu com este cronómetro Professional Automatic, que se baseia num movimento ETA Valjoux 7750 com dia e data às 3H00 e está disponível em duas versões, ambas de edição limitada: preto com destaques em vermelho (300 unidades para todo o mundo) e em verde (99 unidades).

A execução é de alto nível, com caixa em aço revestida a PVD negro, estanquidade até 10 atmosferas (100 metros), mostrador protegido por vidro de safira com tratamento antirreflexo e fundo em aço gravado com a silhueta de três MIG 29. O relógio inclui ainda duas braceletes, em aço e em pele, sendo que esta última pode ser usada normalmente sobre o pulso mas também é possível a sua utilização sobre luvas – mais um detalhe a pensar nos pilotos.

A Aviator oferece ainda, na compra de qualquer um dos seus atuais modelos com movimentos mecânicos, um capacete de pele e óculos de aviador vintage.

O preço para tudo isto é de €1.893. Não é propriamente barato (no contexto habitual deste blog) mas é um valor excelente para um cronógrafo baseado num Valjoux 7750 e com este nível de execução.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Swatch Sistem 51 já chegou a Portugal


Falei do Swatch Sistem 51 no início de 2013, quando o projeto foi anunciado – um relógio mecânico automático com tantas (poucas) peças como o movimento de quartzo do Swatch original e uma série de inovações dignas do grupo que tem liderado o mercado da relojoaria desde há décadas.

Agora que o relógio foi oficialmente lançado em Portugal (estará à venda a partir de amanhã, dia 3 de Outubro), vale a pena voltar a falar dele. Mas não aqui, uma vez que não estivemos presentes na conferência de imprensa. Contudo, o nosso amigo Fernando Correia de Oliveira esteve e conta como foi. Aqui.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Jacques Lemans Classic N-210

Este bonito dress watch é um Jacques Lemans, uma empresa austríaca de que já anteriormente falei a propósito de um cronógrafo de quartzo. Neste caso estamos na presença de um movimento mecânico automático com data cuja referência a marca não indica e que, por isso mesmo, deverá ter origem japonesa (Seiko ou Citizen) – se fosse suíço, certamente que o facto mereceria destaque na descrição das suas características técnicas...

A referência N-210 é baseada numa caixa em aço com 40 mm de diâmetro, bracelete em pele e mostrador em material acrílico (Perspex), o qual tem como grande vantagem o facto de ser inquebrável mas como desvantagem a menor resistência aos riscos.

Os sub-mostradores que lhe dão o aspecto menos comum oferecem complicações de pequenos segundos (às 4H30) e um indicador de 24 horas (às 9H00). A utilização de índices nas posições horárias reforça a simplicidade e elegância do conjunto.

A marca indica um preço de referência de €299, que é o mesmo que confirmámos em lojas online, pelo que será difícil encontrá-lo mais barato. No entanto, o preço parece-me perfeitamente razoável para um relógio automático com estas funcionalidades e acabamento geral.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Motorola Moto 360

Não sou um consumidor interessado em smartwatches, mas tenho de reconhecer que esta é uma categoria em ascensão que, mesmo não tendo necessariamente a ver com os relógios tal como os conhecemos, não deixará de com eles concorrer – ainda que num nicho de mercado.

Até agora não tinha olhado sequer para a propostas da LG ou da Samsung (e, pela mesma razão, para a da Apple) porque não gosto de relógios com mostradores quadrados ou retangulares, sejam ou não smart. E é por isso que o Motorola Moto 360 me agrada, especialmente na versão que mostro nestas fotos, com bracelete em metal.

Com uma caixa em metal com um diâmetro de 46mm, este "relógio" (os ponteiros são na realidade imagens sobre um ecrã LCD, sendo possível escolher diferentes layouts) está no limite do razoável em termos de tamanho, mas exibe uma elegância de alguma forma intemporal.

A Google (a nova dona da Motorola) dotou o mostrador do Moto 360 do mesmo material dos smartphones, isto é, Gorila Glass, um vidro sintético resistente a riscos – embora não tão resistente como vidro de safira.

Não me cabe aqui falar muito mais sobre um produto que não usei e não "mexi", tanto mais que, como disse no início, não sou um cliente potencial. Mas que este é o mais bonito smartwatch do mercado, podendo bem passar por um relógio convencional (no bom sentido do termo), disso não tenho dúvidas.

Caso seja um(a) do(a)s interessado(a)s, o preço de referência para o relógio é de 250 dólares para a versão em qualquer das cores mas com bracelete em pele. O preço para as versões com bracelete em metal não estava definido quando escrevi este post.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Certina DS First Day-Date



A Certina é uma marca de gama intermédia do grupo Swatch focada em relógios de tendência desportiva. Contudo, nela encontramos também alguns belos dress watches, como é o caso deste DS First Day-Date com a referência C014.407.16.051.00.

Apesar de não ser uma das mais cara marcas do grupo, a sua história remonta há mais de 125 anos, tendo sido fundada na Suíça em 1888 – algo que a marca faz questão de lembrar nos mostradores dos seus relógios, logo abaixo do nome. E, no que à relojoaria diz respeito, a história paga-se!

Felizmente que no caso deste bonito modelo, o preço não é excessivo. Baseado num movimento mecânico automático suíço ETA 2836-2 com dia e data às 3H00, este é um relógio com uma execução luxuosa: mostrador com vidro de safira antirreflexo, caixa com 40,33mm de diâmetro, resistência à água até 20 atmosferas (uma raridade num dress watch), bracelete em pele...

O desenho do mostrador é muito elegante, com índices nas posições horárias que reforçam ainda mais o seu posicionamento estético de relógio para ocasiões formais.

Existe um total de sete variantes deste modelo, com diferentes cores de mostrador e braceletes em pele e em aço. Como é habitual, as braceletes em aço encarecem o relógio que, nesta versão custa cerca de €520.

Trata-se de um valor justo face ao pedigreee da marca, movimento usado e qualidade da execução.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Seiko SNN271P1


A Seiko produz imensos cronógrafos, como movimentos de quartzo e mecânicos, mas na sua grande maioria são demasido busy para o meu gosto. Este modelo de quartzo em particular, com a referência SNN271P1 é uma agradável e elegante exceção.

O mostrador foi simplificado com apenas dois sub-mostradores para a funcionalidade de cronógrafo e a janela da data, habitualmente na posição das 3H00, foi aqui movida para o lado oposto, às 9H00. A simplicidade continua na utilização de índices em vez de numerais para as posiçóes horárias.

O resultado, aqui numa execução que inclui bracelete em aço (existem modelos com mostrador em preto e em branco, com braceletes em pele), é um bonito dress watch que se mostra à vontade em praticamente qualquer ocasião, mesmo nas mais formais.

Os €249 que este relógio custa não permitem à Seiko oferecer vidro de safira no mostrador, mas o resto da execução parece-nos bastante justo para o preço, incluindo caixa de aço com 42mm e resistência à água até 10 atmosferas (100 metros). O preço de referência para os modelos com bracelete em pele é de €219.

domingo, 14 de setembro de 2014

Citizen AO9025-05E


Aqui no RelógiosPT gostamos muito de relógios com dia e data. Na sua maioria, esta complicação costuma ser visualizada através de janelas na posição das 3H00, mas existem inúmeras outras possibilidades. É o que acontece neste Citizen AO9025-05E com movimento de quartzo Eco Drive.

Enquanto os típicos relógios de três ponteiros com dia e data às 3H00 resultam sobretudo em dress watches, a Citizen tomou o caminho do relógio desportivo ao desenhar este modelo. Não só o mestrador com os numerais arábicos bem visíveis resulta num aspecto algo militar, os dois sub-mostradores para dia (às 9H00) e data (às 3H00) dão a estre relógio um look decididamente desportivo, que lembra um cronógrafo.

O resto da execução é similar aos relógios de gama de entrada da marca, designadamente caixa em aço de 43 mm, mostrador protegido com vidro mineral, resistência à água de 10 atmosferas (100 metros) e bracelete em pele castanha.

O preço de referência, tal como indicado no website inglês da Citizen, é de £149, um valor bastante interessante para um relógio com este nível de execução.

sábado, 13 de setembro de 2014

Casio MRW-200H-1B2VEF


Já aqui tenho falado de como "barato" é um conceito que difere de pessoa para pessoa. Eu posso considerar barato um relógio com um movimento automático ETA 7750 abaixo dos €1.000, mas não podemos esquecer que vivemos num país em que o ordenado mínimo é inferior a €500 – e a verdade é que dar €700 ou €800 por um relógio não só nem sempre é possível como pode mesmo parecer absurdo.

É por essa razão que tento tanto quanto possível sugerir relógios com preços de 2 digitos (isto é, abaixo dos €100) e, embora seja possível de facto encontrar relógios B3 (que além de baratos sejam "bons e bonitos"!) por esses valores, não é fácil. O que não significa que seja impossível.

É o caso deste Caso com a referência MRW-200H-1B2VEF (existe um total de 10 variações, com diferentes cores e desenho de mostrador) que é possível encontrar por... €30! Acontece que por este preço, o que recebemos em troca é na realidade algo de substancial.

Este relógio em resina sintética utiliza uma bracelete integral no mesmo material, com caixa de grandes dimensões (47,9mm) e resistência à água de 10 atmosferas (100 metros), uma característica que coloca este modelo no campo do que chamo os "relógios todo-o-terreno": não arriscaria levá-lo para dentro de água, mas quase tudo o resto é possível, incluindo tomar duche sem o tirar do pulso! O website da Casio não indica se a coroa é de rosca mas, caso seja, será até possível usar este relógio para natação em piscina – no mar é mais complicado, devido à pressão adicional provocada pelo impacto das ondas.

O movimento em quartzo oferece dia e data às 3H00, uma funcionalidade que é sempre do meu agrado, e a pilha usada dá-lhe uma autonomia para cerca de 3 anos.

Este é um daqueles relógios que demonstra de forma cabal que é um erro procurar relógios baratos entre modelos fashion de plástico com movimentos chineses – que muitas vezes são até mais caros! Por um valor realmente acessível, o que obtemos é uma máquina que nos irá poder acompanhar por muitos e longos anos de aventuras.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Uhren von Uhr UHR-275


A jovem marca germânica Uhren Von Uhr especializou-se na criação de relógios com movimentos mecânicos – suíços e japoneses – produzidos na Alemanha e vendidos em exclusivo através da Internet. O resultado são peças bastante interessantes e com preços por vezes quase "impossíveis".

É o caso deste modelo, UHR-275, que é baseado na versão "Bicompax" com data do movimento cronógrafo mecânico ETA 7750 (a.k.a. Valjoux). O resultado é um relógio particularmente elegante, com uma caixa em aço de 42,5mm de diâmetro, fundo em vidro para observação do movimento e mostrador protegido com vidro de safira.

Nesta implementação do ETA 7750, temos apenas uma janela de data às 3H00 (em vez de dia e data) e só os sub-mostradores do cronógrafo foram mantidos – desaparece o sub-mostrador de pequenos segundos contínuos às 9H00.

Contudo, para todos os efeitos, este continua a ser um movimento "nobre" e cobiçado e o relógio resultante desta abordagem é de facto bonito e muito mais dress watch do que cronógrafo desportivo. Este aspeto é reforçado por um mostrador em que as posições horárias são apenas assinaladas por índices (tratados, tal como os ponteiros, com material luminescente) e não por numerais.

O aspeto "limpo" do mostrador é reforçado pelo facto de terem sido omitidas quaisquer referências à marca – talvez o aspeto menos "nobre" do relógio, dado o facto de ser ainda tão jovem. Apenas as palavras "Automatic Chronograph" aparecem às 3H00, junto à data.

O preço para tudo isto? Uns impressionantes €599, já com IVA mas sem portes, o que o torna no relógio equipado com o ETA 7750 mais acessível de que já aqui falámos.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Timex Originals Classic Round


Garante a Timex que no final dos anos 60 um em cada três relógios vendidos em todo o mundo eram da marca norte-americana (que hoje já não é americana, mas sim europeia). Claro que mais de meio século depois, a situação já é completamente diferente, mas a verdade é que o seu extensíssimo catálogo deverá ainda assim assegurar muito milhares (milhões?) relógios vendidos todos os anos.

Os leitores deste blog sabem o quanto respeitamos a Timex como marca capaz de produzir relógios B3 e este par de modelos da coleção Classic Round (referência T2N339AB em preto e T2N338AB em branco) é bem disso exemplo.

Trata-se de puros "três ponteiros" sem data, com mostrador de 42mm – dimensão que parece ter-se tornado no novo "normal", quando ainda há poucos anos era considerada um tamanho "L" – e tecnologia de iluminação noturna Indiglo. O mostrador é em vidro mineral e o movimento é, claro, de quartzo.

Tal como acontece com os relógios mais baratos da Timex, a caixa é de latão e não de aço. Pelo preço pedido (cerca de €90) é algo que custa um pouco a engolir, embora este não seja propriamente um relógio que alguém julgue que vai durar uma vida...

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Magrette Dual Time


Os relógios com dois fusos horários (normalmente designados "dual time" ou "GMT") são especialmente úteis aos viajantes frequentes ou pessoas com parceiros de negócios noutro país, pois podem assim rapidamente ter acesso tanto à hora local como no outro destino.

A forma mais comum de oferecer um relógio com duplo fuso horário é através de um segundo ponteiro das horas – normalmente de formato diferente do ponteiro "normal" – ou até com um sub-mostrador completo com ponteiros de horas e minutos. O(a) leitor(a) encontra exemplos de ambas as implementações em artigos anteriores neste blog.

Uma outra implementação é a que a marca neozelandesa Magrette utiliza no seu Dual Time, um novo modelo de produção limitada (500 unidades por cada cor) com data de entrega prevista para o início de 2015 e que se encontra já em pré-encomenda a partir do website do fabricante.

Neste caso, o segundo fuso horário é obtido não com um segundo ponteiro das horas, mas com uma segunda escala horária, que pode ser livremente movimentada através de uma coroa às 2H00. É algo que já tínhamos visto em relógios como os Union Flieger, mas que não é comum encontrarmos num dress watch.

A verdade é que a implementação feita pela Magrette é particularmente feliz, resultando em quatro variantes de diferentes cores de mostrador e acabamentos da caixa (com ou sem revestimento PVD), todas elas de belíssimo efeito.

Baseado num movimento automático japonês de última geração Miyota 9015 com três ponteiros e data às 3H00, o Magrette Dual Time  tem uma caixa em aço de 42mm de diâmetro, coroas de rosca, resistência à água até 200 metros e vidro de safira com tratamento antirreflexo.

Durante o período de pré-encomenda, a Magrette pede 515 dólares pelos Dual Time com caixa em aço e $540 para os que têm caixa com revestimento PVD. Os preços passam para $575/$605 a partir de Janeiro de 2015.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Tissot Seastar 1000 Professional Automatic Chronograph Valjoux

Este Tissot Seastar 1000 Professional (ref.ª T066.414.17.057.00) pode não ser "B3" mas merece uma referência pela invulgar integração do movimento cronógrafo automático ETA 7750 (a.k.a. Valjoux) num relógio de mergulho – o que resulta num relógio que nem sequer é tão caro como seria de supor.

Pode dizer-se que este não é um relógio para toda a gente, não apenas pelo seu preço, mas pelas suas dimensões: a caixa tem 49mm de diâmetro, o que significa que não irá ficar bem no pulso de qualquer pessoa.

Em termos de características e funcionalidades, a Tissot criou um verdadeiro relógio de mergulho – completo com resistência até 30 atmosferas / 300 metros de profundidade – onde encontramos o tradicional bisel rotativo para controlo do tempo de mergulho, uma cora de rosca para garantir que a estanquidade anunciada é também real, e até uma válvula de hélio para descompressão automática.

Os ponteiros principais (minutos e segundos) bem como os índices e numerais (apenas às 12H00 e 6H00) têm tratamento luminescente e o mostrador é protegido por vidro de safira. A pulseira de borracha possui fivela e extensão para facilitar a sua utilização por cima das mangas dos fatos de mergulho.

Escrevi no início que este é um relógio que não é tão caro como seria de supor. Digo isto porque um cronógrafo baseado no ETA 7750 mas sem quaisquer características especiais, nunca fica por menos de €800. O facto de este movimento ter sido integrado num relógio de mergulho sem compromissos e a Tissot pedir cerca de €1.600 pode ele parece-me, por isso, bastante razoável.

sábado, 6 de setembro de 2014

Vostok Europe Expedition North Pole • 1 Grand Chrono


A Vostok Europe é uma das marcas habitués deste blog, com uma gama repleta de relógios B3, de que este belo cronómetro de quartzo é um excelente exemplo. Trata-se do modelo Expedition North Pole • 1, mais precisamente da referência 6S21-5954198, em PVD negro e bracelete em aço.

O movimento usado é um Miyota 6S21 Chronograph Grande, modificado pela Vostok (o calibre de referência tem data às 4 e, aqui, a data surge às 3H00, dentro do mostrador de pequenos segundos) e que tem uma particularidade interessante: o ponteiro azul, que conta os segundos no modo cronógrafo, desloca-se de forma progressiva (4 "beats" por segundo, neste caso) tal como acontece nos relógios de movimento mecânico.

De resto, estamos na presença da habitual (grande) qualidade de construção da Vostok Europe. A caixa de aço inoxidável de generosas dimensões (47mm de diâmetro e 17,5 mm de espessura) tem resistência à água até 20 atmosferas (200 metros), o que garante que este é um relógio que pode ser usado sem problemas dentro de água. O vidro do mostrador é mineral de tipo K1, de grande resistência, e a coroa é de rosca – essencial parar garantir a estanquidade anunciada.

O mostrador, de grande visibilidade e contraste, caracteriza-se por utilizar apenas indexes nas posições horárias, à excepção das 6H00, onde foi usado um numeral árabe de grandes dimensões. Ponteiros e índices têm tratamento luminescente para visibilidade no escuro.

O conjunto é particularmente bonito nesta variante toda em preto com bracelete em aço, a qual tem um preço de referência de €319. No entanto, existem outras, com diferentes cores e braceletes (incluindo pele e silicone) mas, qualquer que seja a versão adquirida, é sempre incluída uma segunda bracelete tipo NATO, em nylon, de oferta.

Caso prefira o relógio apenas com bracelete NATO, o relógio fica por apenas €234. Encontra todos os preços e variações aqui, no site do representante em Portugal.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Sinn Model 956 Classic


A Sinn é uma empresa alemã fundada em 1961, focada na produção de “instrument watches” – relógios de grande funcionalidade e visibilidade para serem usados por todos aqueles para quem o relógio é algo mais do que simplesmente um objeto para “ver as horas”.
É certamente o caso deste Model 956 Classic (ref.ª 956.012), a que a Sinn chama “cronógrafo de rally”. Não é só o aspeto vintage do mostrador de fundo creme complementado pela bracelete em pele que faz lembrar glórias de meados do século XX em que os rallies eram coisa de gentlemen em automóveis descapotáveis: fiel ao seu mote de criar relógios-instrumento, a Sinn dotou este relógio de uma dupla escala taquimétrica.
Os cronógrafos usam tradicionalmente escalas taquimétricas entre os 60 e os 500 Km/h, o que as tornam pouco úteis na medição de velocidades mais baixas – precisamente aquelas mais relevantes para o mundo automóvel. Por isso, a Sinn dotou este Model 956 com uma segunda escala complementar, de forma a facilitar a medição de velocidades entre 30 e 60 Km/h.
Outra particularidade deste relógio consiste na utilização do movimento cronógrafo automático suíço ETA Valjoux 7750 numa configuração pouco habitual, na qual a janela de dia e data às 3H00 desaparece para dar lugar a um indicador de reserva de marcha. O resultado é excelente, com proporções perfeitas, mesmo tendo em atenção que este não é um relógio muito grande – apenas 41,5 mm de diâmetro.
O resto da execução é o habitual na Sinn – que é como quem diz, de alto nível. Mostrador com vidro de safira e fundo de observação no mesmo material, em ambos os casos com tratamento antirreflexo; coroa de rosca; resistência à água até 10 atmosferas (100 metros)… O relógio pode ser encomendado com uma escolha entre 15 (!) diferentes braceletes em pele, bem como com uma bracelete em aço.
O preço (este não é um relógio B3…) a partir do website da empresa é de €2.490 para os modelos com bracelete em pele e de €2.725 para o relógio com bracelete em aço.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Casio Edifice EFR-505D-1AVEF





22004_46292
A gama Edifice da Casio é a prova  viva de que não é necessário gastar uma fortuna para nos iniciarmos no mundo dos relógios. É caso deste belíssimo cronógrafo de quartzo, com a referência EFR-505D-1AVEF que é possível encontrar à venda por… menos de €90!
 
O que mais me agrada neste relógio é o seu aspeto clássico e elegante – tanto pode ser usado como um relógio desportivo para todos os dias como servir de dress watch numa situação mais formal.

Note-se contudo que este é um relógio de dimensões relativamente grandes, em linha com as tendências atuais – a caixa em aço tem um diâmetro de 45mm – algo que é, de resto, denunciado pelos sub-mostradores do cronógrafo, às 12H00 e às 6H00, cujo tamanho é igualmente superior ao que é habitual encontrarmos.

O resultado final é muito bom, ajudado com um desenho particularmente harmonioso do mostrador, com a escala horária a usar índices nas posições dos pontos cardeais (12, 3, 6 e 9 horas) e numerais árabes nas restantes, com a janela de data às 3H00. Numerais, índices e ponteiros receberam tratamento luminescente para visibilidade no escuro após exposição à luz.

A Casio usou vidro mineral no mostrador e indica uma resistência à água de 10 atmosferas (100 metros) – algo que resulta num relógio pronto para “bater” mas não para levar para o mar ou para a piscina.

Vale a pena voltar a salientar o preço de referência deste relógio (menos de €90), que é também uma demonstração de que é perfeitamente possível optar por relógios dignos desse nome, em vez de produtos genéricos ou “fashion” com movimentos chineses, mesmo quando temos um orçamento apertado.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Christopher Ward C11 Titanium Extreme 1000

 
Não possuo qualquer relógio de mergulho. Há uns 15 anos tive um Sector que (supostamente) tinha resistência à água de 100 metros e que "morreu" após um simples mergulho de piscina. Percebi tardiamente que as reivindicações de resistência à água por parte dos fabricantes têm de ser vistas com… uma pitada de sal.
Isto porque os testes referem-se à resistência a pressões atmosféricas e equivalem ao comportamento do relógio a uma determinada profundidade. Assim, 3 atmosferas equivale a 30 metros de profundidade; 5 ATM a 50 metros; 10 ATM a 100 metros; e por aí adiante.
Teoricamente, uma resistência de 3 atmosferas (30 metros) devia significar que um relógio podia ser usado sem problema numa piscina. Contudo, na prática, não é assim. Porquê? Porque  o simples movimento do braço num meio líquido aumenta a pressão sobre o relógio; um mergulho numa piscina com apenas 2,5 metros de profundidade pode implicar um impacto superior a dezenas de atmosferas. Já anteriormente falei sobre isto, pelo que basta seguir o link para saber mais sobre o assunto.
Mas vem tudo isto a propósito de que, quando procuramos um relógio que possa de facto ser usado sem problemas na piscina ou no mar, o mínimo para que devemos apontar é uma resistência de 20 atmosferas (200 metros). E, na verdade, 200m e 300m são as resistências à água mais comuns que encontramos em relógios de mergulho abaixo dos 1.000 euros.
Existem no entanto relógios que foram concebidos para profundidades maiores. O valor dos 500 metros é algo que garantirá que o relógio poderá ser usado em praticamente qualquer circunstância. Temos depois casos extremos de engenharia que garantem o funcionamento de um relógio para além do que é, digamos assim, normal. É o caso do Rolex Deepsea, certificado para resistir até… 3.900 metros! Claro que aqui estamos a falar em relógios com um preço superior aos 10.000 euros.
No entanto, também nas marcas mais acessíveis é possível encontrar peças de elevada resistência à água. É o caso do Christopher Ward C11 Titanium Extreme 1000, uma versão melhorada do C11 de mergulho normal (resistente até 500 metros) de que também já aqui se falou.
Como o nome sugere, este novo modelo, com caixa reforçada em titânio, foi concebido para resistir a pressões até 100 atmosferas (1000 metros), o que na prática significa que poderá ser usado em praticamente qualquer situação exceto talvez explorar a Fossa das Marianas.
Tal como o modelo que lhe serve de base, também este possui um desenho muito bonito, graças à utilização de um bisel interior – em vez de exterior – para controlo do tempo de mergulho, o que aligeira o design da caixa. O movimento é uma versão com certificação COSC do Sellita SW 200-1.
Para aguentar as elevadas pressões, a Christopher Ward trabalhou diversos aspetos o relógio, trocando o aço pelo titânio na caixa, de forma a compensar o peso mais elevado pela utilização de um vidro de safira com 4,3mm de espessura. As coroas de rosca foram igualmente objeto de uma nova abordagem, de forma a melhor a sua estanquidade – uma terceira coroa, às 8H00, destina-se a controlar a válvula de hélio, inexistente no C11 original.
O preço de referência é de £1.150. A Christopher Ward irá produzir uma série limitada de 1.000 unidades deste relógio.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Orient EM7A005B9


A Orient é uma marca do grupo Seiko com uma identidade própria, que opera de forma independente e produz os seus próprios movimentos mecânicos. Este modelo com a referência EM7A005B9 é particularmente interessante e tem um preço bastante atrativo – apenas $275 (menos de €250) – para um relógio automático com dia e data.

O modelo pertence à gama Sporty Automatic embora o site norte-americano o identifique como pertencente à Aviator Collection e o apresente com com uma referência ligeiramente diferente (FEM7A005B9).

Em termos de desenho, e embora o design global me agrade, este é um misto de relógio tipo aviação – especialmente no que diz respeito ao mostrador, com os seus numerais bem visíveis e aplicação de material luminescente – e de mergulho, dada a presença de um bisel rotativo unidirecional, normalmente usado para controlo do tempo de mergulho. A resistência à água até 100 metros (a coroa é de rosca, o que é sempre bom sinal) não aconselha contudo a sua utilização no mar.

O resultado final é o de um relógio desportivo polivalente que acaba por poder ser usado em qualquer ocasião. A caixa em aço, protegida por vidro mineral, tem um diâmetro de 43mm e lá dentro “bate” o Calibre 46943 da própria Orient – um movimento automático simples mas fiável usado pela marca em inúmeros modelos, incluindo o lendário relógio de mergulho “Mako”.

Quanto ao modelo que hoje vos trago, existe um total de 5 variações – 3 com bracelete em aço e duas com bracelete em pele e várias cores de mostrador (como é o caso deste, com mostrador azul, muito bonito também). As referências com braceletes em pele têm um preço de referência ligeiramente inferior e podem ser encontradas online por menos de €200.

sábado, 30 de agosto de 2014

Citizen Eco Drive BV1085-14E



O Citizen BV1085-14E é um interessante membro da família de movimentos de quartzo Eco Drive da marca japonesa. A sua faceta mais original é a utilização de um mostrador com escala principal tipo "B", ou seja, os numerais mais evidentes são os que assinalam os minutos e não as horas – as quais surgem numa escala concêntrica com bastante menos visibilidade e destaque.

É uma abordagem típica dos relógios de aviação, reminiscente dos modelos usados pelos navegadores dos bombardeiros da Segunda Guerra Mundial, para quem era mais importante a medição dos minutos do que a visualização da passagem das horas.

Neste caso, o desenho é ainda equilibrado por um mostrador de pequenos segundos às 6H00 e uma janela de data às 3H00, sendo que houve o cuidado para que nenhuma destas funcionalidades beliscasse minimamente a leitura da escala principal, como muitas vezes acontece – sobretudo com janelas de data que por vezes se substituem à posição de índices e numerais.

Este equilíbrio é sem dúvida facilitado pelo facto de este ser um relógio razoavelmente grande, com uma caixa que tem 43mm de diâmetro. Mas o resto da execução é também muito boa, especialmente para um relógio que pode ser adquirido online por apenas €160: mostrador com vidro mineral; aplicação de material luminescente em ponteiros, índices e numerais; revestimento da caixa em PVD negro; bracelete de lona; e resistência à água até 100 metros.

Uma variação interessante, com a referência BV1085-22H, troca o mostrador negro por cinza escuro com contrastes em laranja (em vez de branco) e branco (em vez de amarelo).

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Torgoen T32103



anteriormente falámos da Torgoen, uma jovem empresa norte-americana que se aventura no mundo da relojoaria com alguns modelos originais e outros – como é o caso deste T32103 – apenas simples mas elegantes.

As referências aeronáuticas são evidentes neste relógio em particular, criado para comemorar o aniversário da fundação da força área dos EUA pela general Billy Mitchell e que se inspira nos instrumentos do bombardeiro B-25 Mitchell. É algo que ainda apenas há alguns posts atrás vimos pelos lados da Citizen e da Seiko, mas que aqui tem a vantagem, para os entusiastas, de ser baseado num movimento mecânico automático suíço Valanvron 24 com data às 4H00 (a Valanvron é, tal como a Sellita, uma das alternativas helvéticas à mais conhecida ETA).

A caixa em aço com acabamento acetinado tem 43mm de diâmetro e é protegida por vidro de safira – um material igualmente usado no fundo de observação do movimento.

A execução é toda ela muito cuidada, com pormenores como os pespontos laranja que rematam a bracelete em pele e que são da mesma cor do ponteiro dos segundos. Grande atenção foi também dada à aplicação de material luminescente aos numerais, índices e ponteiros, para uma excelente legibilidade noturna. Outros toques de diferença incluem uma placa em aço aparafusada na parte lateral da caixa às 9H00 e que tem o modelo e número de série do relógio.

O preço é de $680 a partir do website da Torgoen.

Encontra uma análise detalhada a este relógio aqui.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Omega Speedmaster Professional


O Omega Speedmaster Professional é muito provavelmente o mais reconhecível cronógrafo do mundo da relojoaria. Embora existam hoje vários modelos da marca que ostentam o nome "Speedmaster Professional", a referência 311.30.42.30.01.005, que é o objeto deste artigo, é conhecido por Moonwatch – literalmente, o Relógio da Lua – e é o relógio que mais se aproxima dos que foram usados originalmente pelos astronautas do programa Apollo.

Este modelo, lançado pela primeira vez em 1957 e certificado no dia 1 de Março de 1965 como habilitado a ser usado em todas as missões tripuladas da NASA, é também usado por todos os cosmonautas russos desde 1970.

O atual Speedmaster Professional Moonwatch não é uma réplica exata do relógio usado pelos astronautas dos EUA que foram à Lua em 21 de Julho de 1969, mas sim uma versão melhorada. No entanto, foram mantidas algumas das características mais icónicas do original, como é o caso do mostrador de Hesalite (vidro acrílico inquebrável), um requisito essencial para missões no espaço, onde a eventual quebra do mostrador em mil pedaços pode constituir um sério problema.

Também as proporções são as mesmas. Apesar de a Omega ter criado uma versão de 44,25mm, mais de acordo com as atuais tendências do mercado (e que inclui data às 6H00), o modelo 311.30.42.30.01.005 mantém a caixa de 42mm de diâmetro do original.

O movimento usado é o calibre 1861, um cronógrafo de carga manual (o rotor de um movimento automático não funcionaria no espaço, devido à ausência de gravidade) que representa apenas uma pequena evolução face ao calibre 321 (alterado em 1968 para o calibre 861) usado no relógio original. A alteração mais sensível prende-se com os materiais usados, que passaram a ter um acabamento de ródio.

O preço de referência deste relógio é de cerca de €3.900. O Speedmaster Professional é vendido numa caixa especial que inclui ainda uma lupa, uma medalha comemorativa, uma bracelete contínua (tipo NATO) de poliamida com fecho de velcro como a usada pelos astronautas sobre os seus fatos e ferramenta para substituição da bracelete.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Luminox Atacama Field Day Date 1920 Series A.1921



A Luminox foi das primeiras marcas de relógios a utilizar tubos de trítio nos mostradores dos seus modelos, de tal forma que essa é hoje a sua principal imagem de marca e fator de diferenciação, com a tecnologia a ser usada em toda a sua gama. Ao contrário da aplicação de materiais foto-luminescentes, como é o caso da Superluminova, os tubos de trítio brilham de forma permanente, sem necessidade de uma exposição prévia à luz.
A empresa, que tem origem nos EUA, utiliza movimentos suíços automáticos ou de quartzo nos seus relógios. Todos os modelos têm inspiração militar, com as gamas a serem divididas em quatro grandes grupos: Sea, Air, Land e Space.
O relógio que trago hoje pertence ao grupo Land. Trata-se do modelo A.1921 da gama Atacama Field Day Date 1920 Series e é baseado num movimento de quartzo suíço Ronda 517 com dia e data modificado – o movimento de referência tem dia e data às 3H00 mas, neste modelo, a janela do dia passou para as 9H00.
A execução é feita no mais puro estilo militar: caixa em aço de 45mm, revestimento PVD em cinza escuro (“gun metal”), escala principal com numerais árabes brancos com grande visibilidade, escala secundária de tipo militar (24 horas), resistência à água de 20 atmosferas (até 200 metros) e vidro de safira.
Isto, claro, além da já referida aplicação de tubos de trítio aos índices e ponteiros, para visibilidade permanente.
O preço do conjunto (pesquisa online) ronda os €400, o que não sendo propriamente barato para um relógio de quartzo, parece-me justo para os materiais usados e o nível de acabamento aparente. Existem variações sobre este modelo com diferentes cores da caixa, do mostrador e das pulseiras de pele – incluindo bracelete em aço.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Citizen AW0010-01A e AW0015-08E

Citizen-AW001x

A coleção Gents Dress da Citizen inclui vários modelos que considero interessantes pela sua simplicidade e elegância – além do preço razoável, claro.

É o caso dos modelos AW0015-08E, com caixa em PVD preto, e AE0010-01A (igual, mas em branco/prata), com movimentos de quartzo Eco Drive.

Ambos têm caixas em aço com 42mm de diâmetro e um mostrador bastante bonito, com numerais árabes nas horas pares e índices nas ímpares. O deslocamento da janela de dia e data da habitual posição das 3H00 para as 4H00 ditou também a mudança da coroa para a mesma posição.

Outra originalidade pode ser encontrada na forma das asas e na forma como elas prendem as braceletes – de pele preta em ambos os casos.

Mas deixo para o fim o melhor: o preço. Em Portugal, é possível encontrar o modelo branco por €139 e o preto por €149.

domingo, 24 de agosto de 2014

Hamilton X-Wind Auto Chrono H77616533

Hamilton H77616533A Hamilton é uma marca do Grupo Swatch que está posicionada imediatamente a seguir à Tissot. Gosto de quase todos os seus modelos, arrumados em  dois grandes grupos – American Classic e Khaki – a partir dos quais existem depois outros subgrupos. Este original cronógrafo pertence ao subgrupo Aviation da coleção Khaki.
Existem várias referências deste modelo, com variações de mostrador e bracelete, mas gosto sobretudo do H77616533 com bracelete em pele castanha. Trata-se de um relógio cujo preço de referência é da ordem dos €1.200 ($1.595 é o valor na loja oficial dos EUA) mas que é possível encontrar nalgumas lojas online  por menos de €1.000 – um preço excelente para o que aqui nos é oferecido.
E o que temos então? Este relógio em aço com 45mm de diâmetro possui um calibre H-21, uma versão modificada do movimento cronógrafo mecânico automático ETA 7750 (a.k.a. “Valjoux 7750”) na qual as janelas de dia e data foram recolocadas às 9H00, no lado oposto ao que é habitual, trocando de lugar com o mostrador de pequenos segundos. 
As alterações da Hamilton ao ETA 7750 que resultaram neste calibre H-21 permitem também oferecer uma autonomia melhorada – cerca de 60 horas contra uma reserva de marcha habitual da ordem das 42 horas.
O resto da execução é bastante cuidada e inclui mostrador com vidro de safira, resistência à água até 100 metros e fundo para observação do movimento em vidro.
O nome deste relógio – “X-Wind”, uma abreviatura de “Cross Wind”, ou seja, “vento cruzado” – deriva de mais uma funcionalidade pouco comum: um calculador de ângulos de deriva do vento, útil para pilotos e co-pilotos de aeronaves, que funciona através de três biséis rotativos, dois interiores e um exterior.
Esta função originou a necessidade de uma outra alteração, que empresta uma originalidade adicional ao relógio: enquanto a coroa principal e os poussoirs do cronógrafo foram deslocados para o lado esquerdo da caixa, as duas coroas que vemos do lado direito destinam-se na verdade a mover os dois biséis interiores rotativos; o terceiro bisel, exterior, pode ser movimentado diretamente.
Tenho a certeza de que 99% dos compradores deste relógio jamais irão necessitar de calcular o ângulo dos ventos cruzados (e os 1% que precisarão, provavelmente terão outras ferramentas para o efeito…) mas que o resultado é um bonito e invulgar cronógrafo automático, disso estou certo!