sábado, 27 de julho de 2013

Braceletes NATO e ZULU

diff[1]Se acompanha este site com regularidade, já terá encontrado referência a “braceletes NATO”. E certamente já se interrogou sobre o que são e o que têm de especial.
O termo deriva da especificação de braceletes de relógio criada originalmente nos anos 70 pelo Ministério da Defesa do Reino Unido para utilização das forças armadas do país. A razão pela qual ficou assim conhecida deve-se ao facto de que existe um número de stock da NATO que identifica este tipo de bracelete.
Apesar de existirem hoje inúmeras variações em comprimento, largura, cor e material, a bracelete NATO “oficial” existe apenas num material (nylon), num tamanho (280mm de comprimento, 20mm de largura e 1 a 2 mm de espessura) e numa cor (“Admiralty Grey”, referência 18B25).
A principal característica deste tipo de bracelete é que é contínua. Enquanto as braceletes (ou pulseiras) convencionais são constituídas por duas partes, presas em cada um dos topos da caixa do relógio por asas (lugs), as braceletes NATO são contínuas: a bracelete passa sob as asas e fica debaixo do relógio.
A vantagem é que, em caso de quebra de uma das asas do relógio, a caixa continua presa pela outra asa e o relógio não sai do pulso, enquanto que numa bracelete tradicional a quebra de uma asa impede de imediato que o relógio possa continuar a ser usado no pulso.
Uma variação destas braceletes chama-se ZULU (embora muitas vezes o nome NATO continue a ser, erradamente, usado para as designar). Estas continuam a ter o conceito de bracelete contínua em nylon, mas são mais simples do que as NATO.
Encontra uma explicação detalhada e gráfica para as diferenças neste site, que é também um excelente recurso para a aquisição destas braceletes, as quais são sobretudo adequadas aos relógios tipo militar ou de aviador.

Sem comentários :

Enviar um comentário